Quando comecei a aprender alemão, tive momentos de crise. Achei que nunca iria aprender essa língua de Dante. Continuo sem aprender totalmente. Apesar de falar com fluência e já xingar muito no Twitter em alemão, ainda cometo erros bizarros. Pior é que eu conheço a gramática, sei o que seria certo, mas vou lá e scheisso tudo (risada interna).

Minha impressão sobre a língua mudou um pouco. Apesar de continuar achando difícil, também a acho bonita. Porque ela é rica em palavras. Tem palavra pra tudo. Tudo mesmo. E se você tem um vocabulário rico, dá para falar bonito. Mas, é isso também que a faz difícil. Às vezes, é exata demais!

Exemplo, a palavra amigo. Em português, a gente usa pra muita coisa, certo? Aqui, é só para quem é amigo mesmo. Tão amigo, mas tão amigo, que é a mesma palavra para namorado. Pois é.

O amigo do trabalho? Kollege.
O amigo da universidade? Kommilitone.
O amigo que te acompanha nas baladas? Kumpel.
O amigo conhecido que cruzou seu caminho? Bekannt.
O amigo que divide o apartamento com você? Mitbewohner
Namorado? Freund.
Evoluiu para marido, virou Ehemann. Mora junto e não é casado? Lebenspartner ou Lebensgefährte. E aqui é sério. Marido e esposa só se forem casados mesmo. Tudo muito exato, certo?

Por aí vocês tiram minha sina… 😉